O artista se move. O artista contempla. É atraído pelas miudezas ou pelas coisas grandes, por coisas que não existem ou que vem de dentro. O artista tem fome do mundo.

No Espaço Húmus, a arte é cotidiano sensorial. Reunimos um acervo de artistas pelo afeto. O desejo é pela inquietação individual de quem pinta, fotografa, dança e produz. O Espaço Húmus tem fome da curiosidade.

Álbuns

Álbuns

Voluspa Jarpa, Somatic Landscape (3), 2006

Artes Visuais

Voluspa Jarpa

O historiador Walter Benjamim disse que não há documento de cultura que não seja ao mesmo tempo um documento de barbárie. Voluspa Jarpa entende que a barbárie pode ser moldada, destrinchada e exposta, aos olhos de quem talvez não a tenha presenciado, mas que a sente correndo no sangue.